Skip to main content

O montante gasto por angolanos no exterior em turismo superou em 2017, pela primeira vez a receita obtida pela entrada de estrangeiros em Angola, revelou hoje a ministra do Turismo.

Segundo Ângela Bragança, que falava no encontro do Fórum Mundial do Turismo que hoje se iniciou em Luanda, e que termina no próximo sábado, em 2017, os gastos de turistas em Angola atingiram 880,4 milhões USD, que comparam com despesas de 976,5 milhões USD de angolanos que viajaram para o exterior, gerando um défice de 96,1 milhões USD.

Em 2015, o saldo fora positivo em 909,5 milhões USD, baixando para 28,9 milhões em 2016, antes de passar a negativo no ano, seguinte, de acordo com dados do Banco Nacional de Angola citados pela ministra.

As entradas em Angola têm vindo a cair nos últimos anos, devido à situação económico-financeira que o País atravessa desde finais de 2014/2015, por causa da queda do preço do petróleo.

No primeiro trimestre deste ano, Angola recebeu 60.205 turistas. No ano passado entraram no País 217.866 turistas face aos 260.961 de 2017 e 397.485 de 2016.

O maior mercado emissor de turistas para Angola – um País onde o turismo de negócios é a principal actividade, o de lazer tem muito pouco peso – tem sido a Europa, em especial Portugal.

Em 2018, por exemplo, quase metade (105.692) dos turistas que entraram em Angola vieram da Europa, seguindo-se a América (37.751), Ásia (35.560), África (34.699), Médio Oriente (3.380) e Austrália (784).

Em termos de principais países emissores, o destaque vai para Portugal (59.709), China (20.418), Brasil (18.501) e África do Sul (8.710).

Leave a Reply